abril 22 2013 2Comentários

O Lixo – Classificação

 São várias as formas de classificar o lixo. Por Exemplo:

 1.  Por sua natureza física:

Este tipo de classificação é usado, para facilitar a escolha do tipo de embalagem e o tipo de    transporte usado na coleta do lixo.
Seco – papeis, plásticos, metais, couros tratados, tecidos, vidros, madeiras, Cerâmicas, guardanapos e tolhas de papel,  pontas de cigarro. Isopor, lâmpadas, parafina, cerâmicas, porcelana, espumas, cortiças.
Molhado – restos de comidas, cascas e bagaços de frutas e verduras, ovos, legumes, alimentos estragados, etc…

2. Por sua composição química:
Orgânico
–  são compostos de pó de café e chá, cabelos, restos de alimentos, cascas e bagaços de frutas e verduras, ovos, legumes, alimentos estragados, ossos, aparas e podas de jardim.
Inorgânico – composto por produtos manufaturados como plásticos, vidros, borrachas, tecidos, metais, alumínio, tecidos, isopor, lâmpadas, velas, parafina, cerâmicas, porcelana, espumas, cortiças, etc.

3. Pela sua origem:
Domiciliar
– Aquele originado da vida diária das residências, constituído por restos de alimentos (tais como, cascas de frutas, verduras, etc.), produtos deteriorados, jornais, revistas, garrafas, embalagens em geral, papel higiênico, fraldas descartáveis e uma grande diversidade de outros itens. Pode conter alguns resíduos tóxicos.

Comercial – Aquele originado dos diversos estabelecimentos comerciais e de serviços, tais como, supermercados, estabelecimentos bancários, lojas, bares, restaurantes, etc. O lixo destes estabelecimentos e serviços tem uma quantidade de papel, plásticos, embalagens diversas e resíduos de asseio dos funcionários e usuários, tais como papéis toalha, guardanapos, papel higiênico, etc.

Público e de Serviços de Saúde – Aquele originado dos serviços de limpeza urbana, incluindo todos os resíduos de varrição das vias públicas, limpeza de praias, galerias, córregos, restos de podas de plantas, limpeza de feiras livres, etc.. constituído por restos de vegetais diversos, embalagens etc.

 

Hospitalar – Descartados por hospitais, farmácias, clínicas veterinárias, (algodão, seringas, agulhas, restos de remédios, luvas, pedaços de corpos, curativos, sangue coagulado, órgãos e tecidos removidos, meios de cultura e animais utilizados em testes, resina sintética, filmes fotográficos de raio X). Em função de suas características merece um cuidado especial em seu acondicionamento, manipulação e disposição final. Deve ser incinerado e os resíduos levados para aterro sanitário.
Resíduos assépticos destes locais, constituídos por papéis, restos da preparação de alimentos, resíduos de limpezas gerais (pós, cinzas, etc.), e outros materiais que não entram em contato direto com pacientes ou com resíduos sépticos anteriormente descritos, são considerados como domiciliares.

Portos, Aeroportos, Terminais Rodoviários e Ferroviários.

Constituem resíduos sépticos, ou seja, que contêm ou potencialmente podem conter germes patogênicos. Basicamente originam-se de material de higiene pessoal e restos de alimentos, que podem hospedar doenças de outras cidades, estados e países.

Industrial – Aquele originado nas atividades dos diversos ramos da indústria, tais como, metalúrgica, química, petroquímica, papelaria, alimentícia, etc.
O lixo industrial é bastante variado, podendo ser representado por cinzas, lodos, óleos, resíduos alcalinos ou ácidos, plásticos, papel, madeira, fibras, borracha, metal, escórias, vidros, cerâmicas. Nesta categoria inclui-se grande quantidade de lixo tóxico. Esses tipos de lixo necessitam de tratamento especial pelo seu potencial envenenamento.

Radioativo – São resíduos provenientes da atividade nuclear (resíduos de atividades com urânio, césio, tório, radônio, cobalto). Esses resíduos permanecem em atividades por milhares de anos, e seu tratamento e disposição final obedecerão às exigências definidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN

 

Espacial (lixo cósmico) – Pedaços de satélites, foguetes, tanques de combustível, parafusos, ferramentas, luvas perdidas por astronautas, etc.

 

Agrícola – Resíduos sólidos das atividades agrícolas e pecuárias, como embalagens de adubos, defensivos agrícolas, ração, restos de colheita, etc.
Em várias regiões do mundo estes resíduos já constituem uma preocupação crescente, destacando-se as enormes quantidades de esterco animal geradas nas fazendas de pecuária intensiva. Também as embalagens de agroquímicos diversos, em geral altamente tóxicos, têm sido alvo de legislação específica, definindo os cuidados no seu destino final e, por vezes, corresponsabilizando a própria indústria fabricante desses produtos.

Entulho – Resíduos da construção civil: demolições e restos de obras, solos de escavações. O entulho é geralmente um material inerte, passível de reaproveitamento.

 

 

Reprodução permitida:

Apoio:

  • Radio Compartilhando o Saber.
  • Tecnologia da comunicação:

Levar ao público em geral informações sérias não tendenciosas, geradas por instituições ou pessoas que realmente se preocupam com a qualidade do conhecimento e acreditam que estes devem ser para todos.

Contato:

orlando@omelhordanatureza.com.br

www.facebook.com/orlando.vettorazzo

 

Contatos: Fixo. 11 – 4563-5831

Whats App – 11 – 9 8926 1683    

2 comentários

  1. Temos dúvidas sobre como destinar restos de tecido e roupas velhas. Devemos destinar como lixo orgânico ou inorgânico? Podem nos ajudar? Obrigado.

  2. Lixo orgânico – Material de origem biológica, como restos de alimentos e bebidas (tipo Garapa), plantas e animais mortos. E até mesmo roupas 100% de algodão. Neste caso não entra tecidos sintéticos (nylon, por exemplo).
    Lixo inorgânico – Papéis secos, plásticos, vidros, metais ferrosos e não ferrosos.

Gostou? Deixe seu comentário!