dezembro 30 2017 0Comentário

O cérebro contém mais de 100 bilhões de células.

O cérebro contém mais de 100 bilhões de células, e os ácidos graxos ômega-3 são os blocos de construção delas. A importância do consumo, é que o ômega 3 não é produzido pelo corpo.  Ele contém três ácidos graxos essenciais: ALA (Ácido alfa-linolênico – linhaça são a fonte mais concentrada de ácido alfa-linoleico . EPA (ácido eicosapentaenoico) e o DHA (ácido docosaexaenoico). O EPA e o DHA são particularmente importantes para a manutenção da função cerebral em adultos. Estas gorduras promovem a formação de novas células cerebrais, auxiliam na produção das membranas celulares e aumentam sua fluidez. Com isso, o cérebro fica mais apto a receber e processar novas informações. Além disso, o ômega 3 (nas membranas celulares) ajuda no bom funcionamento dos neurotransmissores, que facilitam a comunicação das informações no cérebro. E mais: estudos preliminares mostraram que o ômega 3 pode aumentar o hormônio do crescimento do cérebro, o que pode aumentar a produção de neurotransmissores e protegê-los da destruição. Se o seu cérebro não estiver com a quantidade suficiente deste tipo de gordura, ele poderá demorar mais para responder aos estímulos. O problema é que, com o tempo, ele poderá adotar este ritmo como seu padrão normal de funcionamento e aí podem surgir problemas como: falta de memória, dificuldade de concentração, queda do desempenho cerebral e cognitivo e até doenças como mal de Alzheimer, depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia e transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH).  Vários estudos epidemiológicos associaram baixos níveis de ômega 3 em indivíduos com essas condições de saúde.

Deixe seu comentário